12 de junho de 2017

Os Pais



(para o João Pato)



Os pais avançam às arrecuas, vindos da caça, da guerra,
Vindos do mar em direção a terra. Desasados,
Entram em casa sujos, puxando as charruas,
Alfaias de lavoura, para o cuidar tão cruas.
Alguns conhecem os nomes de todas as árvores,
Outros os nomes de todos os peixes,
Poucos os de todas as estrelas, ou das dores a lista infinda.
Alguns pais sabem mesmo o nome de todos os filhos.
Mas por mais inteira que seja a sua ciência percebida,
Aos olhos dos filhos a moral de um pai permanece incerta.
Esguia. Obscura. Vimo-lo salgar as pastagens dos inimigos
E livro algum no mundo explica uma batalha por linhas direitas.
Até à hora de entendemos como,
Na cristalina necessidade do universo,


Os pais sacodem a terra das raízes dos filhos.


Sem comentários: